A gente é muito hardcore.

Arquivo para a categoria ‘chá veco’

Se jogar um toco de cima de um morro, rola ou não rola?

Certa noite me peguei questionando como é se apaixonar, amar ou ficar encantada por alguém, não sou nenhuma expert no assunto mas tenho certeza que são coisas distintas, talvez uma complemente a outra, tipo estágios, se encanta, se apaixona e no extremo total ama e no fim se for o caso “desama” rs*.

Bem, já que são estágios vamos falar então de um da cada vez começando pelo encanto, acho que essa parte é a mais divertida, é quando estamos conhecendo a pessoa, tudo é novidade, ficamos atento aos mínimos detalhes, cada gesto, prestamos atenção principalmente nas coisas em comum que aquela pessoa tem com a gente, nos interesses, nas qualidades. De início o encanto pode até parecer uma simples amizade tipo “ah fulano é legal, mas é só isso, nem tem nada de mais não”, isso até você mesmo começar a questionar o seu interesse em ter aquela pessoa por perto “será que é só amizade mesmo?”, ai em seguida dá aquela vontade de ver aquele amigo sempre, chamar para sair só para conversar mesmo, afinal fulano é tão legal, e ai você percebe que seu coração bate um pouquinho mais forte quando aquela pessoa está por perto. Opa esse é o passaporte de entrada para o segundo estágio.

É agora você está apaixonado, nesse estágio tudo sai um pouco do controle, começa a ficar ansioso, nervoso, tenso, estressado, triste, feliz, é uma vitamina de sensações e sentimentos, tem vontade de ver a pessoa o tempo todo, conversar horas pelo telefone e MSN. Quando se encontram seu coração acelera, você fica meio sem jeito, não sabe bem o que dizer e o que fazer, fica com um certo receio de parecer idiota demais ou oferecido demais enfim é um caos rs*. Se a criatura não dá sinal de vida um dia já se sente inseguro, se não aparece em dois dias começa a ficar triste, no terceiro já é desespero total. Começa a rondar na sua cabeça as famosas perguntas, será que a pessoa está afim de mim? O que será que eu fiz de errado? Até que fulano te liga, ai pronto, passagem direta para o céu, tudo lindo de novo, tudo perfeito, afinal o fulano é perfeito. E finalmente um “vamos namorar?” e ai começam um relacionamento.

Bem o terceiro estágio é bastante complexo, pois nem todo relacionamento tem amor e nem todo amor tem relacionamento, na verdade cada um interpreta o amor de uma forma diferente, até porque temos pontos de vista diferente, como o post é meu (só um pouquinho egoísta) vou descrever o que eu acho que é, se você não concordar exponha o seu ai nos comentários. Voltando ao assunto o amor para mim é companheirismo, é apoio, admiração, e você querer ver e fazer a pessoa feliz sem exigir nada em troca, não é condicionado, é puro, é uma sensação de querer sempre o bem, sem egoísmo, sem posse, o amor é banhado a amizade mais apesar disso vai muito além dela. Acho que fui um pouquinho poética na minha descrição, mas sei lá, acho que é assim, por isso acredito que o amor é uma construção, ele não vem de um dia para o outro, ele vai se solidificando com o tempo.

Se existe amor eterno eu não sei, mas como diz aquela música “o para sempre, sempre acaba” seguindo nessa linha de raciocínio e sendo realista o suficiente tendo em vista a sociedade atual chegamos ao “desamor”. Nesse momento a pessoa, o fulano, o seu antigo alvo de desejo e o seu amor para a vida inteira, agora é um ser insuportável, tudo que ele faz te irrita profundamente, até mesmo a forma como ele respira, as qualidades evaporaram e só os defeitos tem ênfase nesse momento, companheirismo já nem existe porque agora é cada um por si, diálogo só para se xingar e discutir, já deixaram de ser amigos faz tempo, e respeito já não faz parte do cardápio, e ai chegam ao limite ou se matam ou se separam. Bem pessoas sensatas se separam, mas tem aqueles psicopatas que resolvem se matar mesmo.

Triste isso né, mas fazer o que, acontece nas melhores e nas piores famílias, claro que esses estágios não são uma regra, cada um vive os momentos e sentimentos de um jeito, deve existir por ai um amor eterno que não seja momentâneo, tem gente que termina, mas continua amando e desejando o bem da outra pessoa e tem gente que decreta guerra total. Enfim, o importante e saber lidar com as situações e entender que na vida nada é totalmente certo ou eterno, as coisas mudam sempre, e ao final perceber que tudo valeu à pena porque mesmo quando erramos estamos aprendendo e experiências são sempre validas.

Então é isso, e ai preperado para iniciar os estágios ?? Vai que você está virando a esquina e dá um esbarrão no seu futuro amor/desamor e deixa cair os seus livros no chão e ele te ajuda a catar e ao final vão tomar um café juntos hahaha….

Anúncios

E ai foi bom para você?

Bem, falar de sexo deixou de ser um assunto polêmico faz tempo, pensando bem, será que deixou mesmo?

Muita gente tem mania de fingir que sexo não existe, como se fosse uma coisa feia, algo proibido, obscuro, errado. Ah e se você for mulher e solteira, pior ainda, até porque “moças de família” não fazem sexo sem compromisso, isso é coisa de mulher da rua. Quanta hipocrisia, quer dizer então que mulheres solteiras não podem ter desejos e vontades a não ser que assumam um compromisso de momentâneo amor eterno com alguém.

Sou totalmente avessa a essa opinião machista que a sociedade impõe, não estou querendo dizer que está liberado e que é isso ai tem que sair transando com todo mundo, até porque sou contra esse tipo de comportamento, pessoas tanto homem quanto mulher precisam se valorizar, sair por ai distribuindo beijos e promessas de futuros contatos que nunca acontecem é coisa de gente carente, mas não vejo nenhum problema em ter relações com alguém que você achou interessante mesmo que isso não se transforme em um compromisso futuro, se o clima do momento estiver legal e for favorável para ambas as partes porque não?

Sexo é uma das melhores coisas da vida, é uma troca de fluídos e sensações, é um momento onde você pode se entregar por inteiro, e ele pode vir junto com o amor ou não, um não precisa do outro necessariamente. Então para que envolver tanta polêmica em cima disso? Não precisamos tratar do assunto como se fosse algo anormal, até porque o mundo inteiro faz independente da cultura, credo ou classe social.

Então é isso, liberem suas “emoções” sem medo de ser feliz, a opinião dos outros é só a opinião dos outros.

%d blogueiros gostam disto: