A gente é muito hardcore.

Arquivo para a categoria ‘chá é’

Sou uma interrogação, poxa…

interrogacao

Sou assim, inconstante, hoje eu quero, amanhã não, depois de amanhã talvez. Difícil conseguir lidar comigo, às vezes nem eu mesma consigo. Não dá para acompanhar direito essa montanha russa de vontades ,sentimentos e conflitos.

Poderia transferir a culpa para você e dizer que o fato da gente não ter dado certo foi algo que você fez ou deixou de fazer, só que não, é covardia agir dessa forma quando eu tenho certeza que a culpa foi toda minha.

Talvez tenha faltado um pouco mais de vontade, mas como vou provar que quero muito alguma coisa, se nem mesmo eu sei o que eu quero, bizarro. Meu cérebro é condicionado a executar tarefas por partes, dessa forma, a primeira etapa é decidir.  Sabe aquela música do Djavan “Você disse que não sabe se não, mas também não tem certeza que sim…”, tenho certeza que ele fez para alguém muito problemático, tipo eu…

Acho que talvez a grande questão seja saber priorizar, borboletas no estômago ou ter algo sólido e seguro. Acho que a sociedade atual tem se alimentado de relações descartáveis que se intitula e sobrevive de postagens no facebook e fotos felizes no instagram, de emoções não duráveis, daquele tipo que na primeira dificuldade que surge, desavença, questionamento ou conflito de opiniões simplesmente pula fora do barco, mesmo que precise nadar contra a corrente ou pegar carona no barco de outra pessoa momentaneamente. Acho que talvez eu tenha adquirido essa cultura e provavelmente você também.

Vou abrir o jogo com você, sou do tipo que mostra firmeza e segurança, mas que na verdade é extremamente frágil, do tipo que não liga no dia seguinte e não pergunta como foi o seu dia, mas espera veemente que você faça o oposto, do tipo que fica analisando cada detalhe e não esquece absolutamente nada do que você diz ou faz mesmo mostrando um total desligamento e distração da realidade, do tipo que nunca diz eu te amo simplesmente porque acha uma bobagem dizer e acha um absurdo afirmar algo que realmente não sabe se sente de verdade, do tipo que não gosta de rótulos sociais que não se importa com o fato de dizer que está em um relacionamento ou não quando os únicos interessados são as duas pessoas envolvidas e o resto não tem nada a ver com isso, do tipo que não faz muita questão de declarações de amor eterno, nem que você viva em função de mim e menos ainda que me ame para sempre, mas deseja com todas as forças que mesmo que a gente nunca mais se encontre seja alguém que tenha feito alguma diferença, que não tenha sido mais uma, e que você lembre com saudade ou com ternura dessa louca que bagunçou a sua vida.

Anúncios

Amor é igual orgasmo, cada um sente de um jeito…

cor
Certa vez ouvi alguém dizer que só é possível amar verdadeiramente uma pessoa na vida, na hora não dei muita atenção para o argumento, apesar de ter achado meio exagerado, mas depois, mas precisamente quando fui dormir comecei a questionar levando em consideração minhas próprias experiências… e quer saber, acho de verdade que é possível amar 1 milhão de pessoas diferentes durante a vida (nesse quesito não entra amor fraternal, se é que me entendem), talvez não do mesmo jeito, nem pelos mesmos motivos e muito menos com a mesma intensidade, até porque se tratam de pessoas diferentes, e até hoje não li nenhum texto e nunca ouvi ninguém definir o que é o amor exatamente, como dizem por ai, o amor é um sentimento sublime que não tem explicação rs*. Que seja…

Eu acredito que nada na vida é eterno, se nem mesmo nos humanos, duramos para sempre, porque o amor tem que durar? E porque a gente só pode sentir isso por uma pessoa?…  Imagina se a pessoa que você amou não correspondeu o sentimento, não é justo não amar mais ninguém na vida…

Voltando ao ponto inicial, não estou aqui querendo levantar a bandeira da poligamia ou do conheci ontem e hoje já estou amando enlouquecidamente, isso é maluquice e carência rs*… Na minha concepção o amor vem com o tempo, com a convivência, com o querer estar sempre junto, com o querer bem, independente da briga de ontem, com o beijo que faz o tempo parar, com o sexo com sentimento, com o abraço que acalma todas as angustias, com a parceria, com a cumplicidade, com a amizade e com mais um milhão de coisas que a gente só é capaz de perceber quando está vivenciando esse momento… Isso não significa que vai ser igual pra todo mundo, cada um sente de um jeito, cada um ama de um jeito. Também não é uma necessidade amar vários, se você deu sorte ou azar e achou o seu tal amor verdadeiro na primeira pessoa com quem ficou, então que seja “eterno”… Mas se o relacionamento acabou não significa que não houve amor ou que não deu certo, na verdade deu certo enquanto estiveram juntos, enquanto foi bom. Se terminou, com certeza, pode demorar ou não, você vai amar outra pessoa…

E assim funciona o ciclo na vida, tudo é válido como experiência e aprendizado, e no final o que resta são as lembranças, algumas boas outras nem tanto rs*.  O importante é amar ontem, hoje, amanhã e ser feliz…

Ah só com o tempo mesmo…

Sem dúvidas o faz de conta é muito mais atrativo e interessante do que a vida real, o mundo que habita a minha imaginação é cheio de coisas legais, nele eu posso ser quem eu quiser e fazer o que me der na telha, e o mais bacana é que lá não existe julgamento alheio, não há barreiras , nem consequências, o tempo passa depressa ao mesmo tempo em que ele não passa.

A vida real é muito chata, na verdade a rotina é que desanima e mudar requer um certo esforço e isso me dá preguiça. Deixar o tempo passar é uma perda de tempo, difícil lidar com esse dilema já que o tempo passa o tempo todo.

Dizem por ai que o tempo é o senhor da razão, que ele cura tudo, até dor de cotovelo, que ele é o cara mais poderoso do universo, que ele é o herói e o vilão.Se as coisas deram certo, foi porque era a hora certa, se não deram então dê tempo ao tempo que tudo vai se ajeitar com o tempo. Pois bem, se o tempo é o senhor de tudo, pra que se esforçar tanto e queimar os miolos para ter respostas? Deixa o tempo fazer o trabalho dele e pronto tudo resolvido.

Foi com o tempo que eu aprendi a crescer, porque mesmo que eu me esforce para que não haja mudanças, o tempo muda tudo o tempo todo. Com o tempo aprendi a dar valor ao que tem realmente importância, e principalmente a ter paciência, a esperar a hora certa, o tempo certo. O estranho e difícil nisso tudo é saber que hora certa e tempo certo é esse.

Esse negocio de tempo é muito esquisito mesmo, de repente a hora certa é agora e o tempo certo é hoje, mas também se não for agora e nem hoje, tenta depois e depois e depois… Uma hora a gente acerta o tempo certo.

 

%d blogueiros gostam disto: