A gente é muito hardcore.

Arquivo para janeiro, 2011

Desistir as vezes é uma opção favorável…

É muito fácil usar a filosofia do Chá pra lá e acreditar que tudo é muito fácil de resolver, que basta tomar um “chá” e pronto, fim dos problemas, mais fácil ainda é dar opinião e criticar as atitudes do “vizinho”, eu mesma sou ótima nisso, sempre tenho opinião e acho solução pra tudo, exceto quando se trata de mim, ai complica.

Sou critica e exigente por natureza, observadora nata e isso faz de mim alguém extremamente calculista, algumas pessoas chamam isso de frieza, eu prefiro denominar de cautela.

Desde já, quero dizer que esse texto não é uma auto biografia, a descrição acima é só para dar corpo ao que vem a seguir, a minha opinião sobre o assunto que eu quero abordar. Qualquer semelhança é mera coincidência.

Já consideraram a opção de perder por W.O, melhor dizendo, de desistir do jogo algo sensato? Pode parecer covarde em algumas situações, mas para outras é a melhor opção. Sabe aqueles jogos de final de campeonato onde está tudo empatado, você perdeu algumas partidas o adversário também, e quando chega nos últimos jogos você sente seu corpo e mente completamente debilitados, já não sabe pra onde correr, não consegue pensar em nenhuma estratégia, e está tão cansado de dar o seu melhor e não obter os resultados almejados, que começa a cogitar a possibilidade de jogar tudo pro alto, mas a consciência sempre pesa, afinal foram anos de treinamento, e você pensa “como jogar tudo para o alto, perdi meu tempo em prol de nada. Já cheguei até aqui, agora vou até o final”.

Eu usei uma metáfora para ilustrar um pensamento que pode acontecer em diversas situações, seja ela no lado profissional ou emocional, Tudo na vida tem dois ou mais caminhos, quem tem que analisar se realmente vale à pena ir até o final é você, às vezes desistir é a melhor opção, não adianta ficar lutando e tentando corrigir o que não tem solução. O que sempre martela nossa cabeça é o “e se…” Tipo e se eu tivesse feito tal coisa será que teria tido um resultado diferente? Talvez, mas na maioria dos casos eu acredito que não, se você já tentou diversas vezes e não conseguiu chegar a lugar nenhum e não houve mudança, sinto lhe informar, que você vai continuar do mesmo jeito para sempre. Ainda mais se tratando de pessoas, ninguém muda por ninguém. Por isso a necessidade da sair do ciclo vicioso e abrir a cabeça para as possibilidades, nenhuma mudança é fácil, mas se não for feita você vai continuar infeliz pelas mesmas coisas e não adianta ficar reclamando.

Eu já trai minha opinião varias vezes por causa do maldito “e se…” e aprendi depois de muito quebrar a cara que o “e se…” não me leva a lugar algum, entendi que se algo não muda depois de diversas tentativas é porque não mudará nunca. De todos os males o pior é a rotina o costume, mas se conformar com algo por isso não vale a pena.

Deixar o conformismo e o medo de tentar o novo é uma opção favorável, e no fim você percebe que não há nada melhor que sentir seu corpo e mente vibrando pelo desconhecido, o novo.

Anúncios

Falta de amor próprio a gente não vê por aqui…

Tem coisas que eu vejo que simplesmente não consigo entender. Não entra na minha cabeça o fato de algumas pessoas não conseguirem se desvencilhar do que já passou, ficam se afundando em prol de um relacionamento que já nem existe.

Ainda tem aqueles casos em que a parte “sofrida” tem o hábito de ficar assistindo como telespectador assíduo o que acontece na vida do outro, torcendo e esperando por uma oportunidade mínima que seja para entrar em cena, nem que seja por 5 segundos.

Não sei como alguém consegue viver desse jeito, a impressão que eu tenho é que esse tipo de pessoa realmente gosta de ser digno de pena. E o pior é quando dizem que isso é amor incondicional, na minha opinião isso é falta de vergonha na cara, sinto lhe informar, mas amor não é desse jeito, o nome disso é obsessão, que no dicionário traduz-se por: Idéia fixa / perseguição diabólica / importunação perseverante.

O fato é que o mundo é inteiramente grande e populoso, quando uma porta se fecha, sempre existem outras para serem abertas, temos um mundo de possibilidades. Por isso não vejo sentido no sofrimento, ficar triste por algo que acabou é natural, mas viver em função disso é maluquice.
Sei que é clichê, mas para surtir efeito e interesse em outra pessoa é preciso se aceitar, se gostar. Ninguém se interessa por pessoas sem brilho, com auto estima baixa, quem não se ama, fatalmente não é capaz de amar outra pessoa, digo isso no sentido literal.

Isso sem falar daqueles casos patéticos de pessoas que sentem prazer em infernizar a vida do “ex”, fazer birrinha e escrever recadinhos, por mais infantil que seja é até relevante. Pior são os casos extremos que levam a assassinatos, isso para mim é o cúmulo, como alguém é capaz de roubar a vida de outro ser humano por um motivo tão fútil?

A vida em sua filosofia é uma eterna metamorfose, estamos em constante mutação, se o indivíduo não evolui, ele fica para trás, essa é a ordem natural das coisas. Se você insiste em ser infeliz para ser feliz, sinto lhe informar, mas fatalmente continuará sendo infeliz.

Enquanto o sangue pulsa em suas veias há vida, aproveite-a, aprenda a ser auto suficiente, experimente coisas novas, esteja aberto para novas oportunidades, aceite os seus defeitos, dê ênfase as suas qualidades e coloque na cabeça de uma vez por todas que ninguém é insubstituível.

%d blogueiros gostam disto: