A gente é muito hardcore.

Arquivo para a categoria ‘chá comigo’

O que se leva da vida é a vida que se leva…

Afinal, como é o jeito certo de se levar a vida. Alguém pode me responder?

Tenho andado com essa questão na cabeça não é de hoje, será que o jeito certo é seguir os padrões da sociedade ou será que o jeito certo é ser diferente do padrão imposto? Apesar de não saber, eu prefiro levar a vida do meu jeito, mesmo não sabendo ainda que jeito é esse.

Sabe aquele momento da vida que você começa a questionar o que, porque e para que… tô nessa fase ai, não sei se isso tem alguma coisa a ver com amadurecimento nem tão pouco se todo mundo passa por isso na vida, mas se alguém me perguntar o que eu espero do futuro, vou responder sinceramente que a única coisa que eu não quero e ser uma pessoa frustrada. Não quero ser aquela mulher de meia idade cheia de rancor e mau humor, que reclama de tudo e de todos, que fica se lamentando das suas escolhas e sentindo pena de si mesmo.

Não espero ser a pessoa mais interessante do mundo, nem ser percebida por milhares, só espero poder fazer a minha diferença mesmo que ninguém veja e que só eu perceba. Também não acredito nessa coisa de destino, tudo o que acontece é reflexo de uma escolha, se as coisas estão se colocando de um jeito que eu curto ou não curto o mérito é todo meu, cabe a mim levar a diante ou reparar o erro.

Hoje eu entendo que nada dura para sempre, o eterno e tão utópico quanto o mundo ideal, e os contos de fadas pra mim já perderam o encanto faz tempo, isso não significa que eu seja uma pessoa fria ou que não acredite no amor, o príncipe encantado ainda reina nos meus sonhos, só que de um jeito um pouco diferente.

E voltando ao ponto inicial, sinceramente pouco me importa como o mundo me enxerga, meu grande dilema é como eu me enxergo no mundo, só desejo futuramente poder olhar para trás e ter a certeza de que tudo valeu a pena, mesmo cometendo muitos erros e alguns acertos.

Ouvir às vezes é mais vantajoso que falar.

A maioria das pessoas gostam de conversar a respeito de qualquer coisa, vida amorosa, trabalho, entretenimento, diversão, enfim, gostam de falar de tudo um pouco.

Nessa ultima semana que passou eu aprendi que se dispor a ouvir o que o outro tem a dizer às vezes é mais importante que falar, deve ser por isso que temos dois ouvidos e uma boca. Em diversas situações da vida perdemos grandes oportunidades de fazer diferente porque antes de entender colocamos o julgamento na frente. E quase que uma regra onde apenas a sua opinião é o que vale, o que o outro pensa a respeito não tem importância, pessoas de cabeça fechada e mente pequena agem dessa forma.

Como diz aquela famosa música de Raul Seixas “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo…” Eu prefiro ser desse jeito, mudar de opinião não significa não ter personalidade, pelo contrário se você tem a capacidade de mudar seu pensamento a respeito de um determinado assunto provavelmente você é inteligente o suficiente para ver o outro lado da moeda. Claro que tem aqueles casos do “Maria vai com as outras” mas sobre isso é melhor nem comentar pois é tão burro quanto o indivíduo que morre com a mesma cabeça e opinião.

Por isso fica a dica, antes de sair por ai fazendo o discurso do “é claro que é isso”, ou “a minha opinião é essa e não vou mudar”, abra a cabeça para ouvir os argumentos que o outro tem para lhe dizer, e se achar que vale a pena não tenha medo de mudar de opinião, às vezes as suas incertezas de hoje são as suas convicções de amanhã.

%d blogueiros gostam disto: